17 coisas que a Maternidade me ensinou

Olá fashionásticas!

Maio já chegou e estamos na semana das mães. Semana que hoje em dia tem um sabor bem novo para mim. Como vocês já sabem, sou uma blogueira mamãe e esse ano vou comemorar o dias das mães com meu filho Heitor pela segunda vez.

Porém, o dia das mães esse ano será bem diferente. Além do Heitor está bem esperto e andando tudo, vou curtir bem mais que no ano passado porque na data eu estava ainda em resguardo, ou seja, ainda estava toda doída.

Um ano depois e aqui estou eu para trazer para vocês um posto onde listei 17 coisas (17 para relacionar com o ano, ok?!) que a maternidade me ensinou nesse 1 ano como mamãe. Vem comigo!

1. Aprendi que ter paciência é muito importante. E não é que eu tenho?

Se tem uma coisa que eu nunca imaginava ter era a bendita da paciência. Muitas pessoas dizem assim: “ah… Cara, não tenho paciência com crianças!” E só cuidou ou ficou com filhos dos outros. Posso te falar algo? Quando é o nosso próprio filho não tem jeito, é ter ou ter paciência.

2. Aprendi que cada choro é diferente sim!

Sabe quando dizem que o choro do bebê muda pela necessidade que ele tem?

Eu não acreditava que era possível identificar o que um bebê quer ou está sentindo apenas ouvindo o choro. Mas isso acontece sim! Eu mesma só percebi isso em mim quando reparei pelo choro que o Heitor estava com dor na barriga e não fome como o pai achava.

3. Aprendi a transformar minha audição em uma SUPER AUDIÇÃO.

Não só a audição, mas todos os sentidos. Lembram que dizem que a mãe tem um SEXTO SENTIDO. É realmente assim.

Com a audição apurada, eu já sei e sinto o que o meu filho já está aprontando… E claro, as bobeiras que os papais sempre fazem, né?!

4. Aprendi que mesmo sendo minha primeira gravidez, o tempo nos torna uma mãe incrível.

“Eu não sou mãe normal. Eu sou uma mãe legal”.

Ser mãe é absolutamente incrível. Mesmo sendo mãe de primeira viagem, a Maternidade é transformadora.

Hoje sou uma mulher muito mais confiante e sei que com os dias, sei que sou uma mãe maravilhosa. E você que me lê também será ou já é!

5. Falando em tempo. Aprendi a dar mais valor a cada minuto em família porque o tempo voa.

Tempo, eita coisa que corre rápido. Sabe quando dizem que tudo que é bom passa rápido, é quando seu bebê é bem pequeninho. Passa que você nem vê direito. Então, tire foto de tudo. Tudo mesmo. Vídeos também.

6. Aprendi a gostar de desenhos.

Eu sempre assisti desenhos na TV, mas nunca fui muito fã de animações e tinha muitos anos que não parava para assistir desenhos.

Depois que se tem filhos, a TV é desenho quase 24h por dia e eu acabo gostando dos desenhos também. Não tem nada melhor que deitar no sofá com ele e ver O Show da Luna, o desenho favorito do meu pequeninho.

7. Aprendi (na marra!) a enfrentar os dias dormindo muito, mas muito pouco.

“Eu nunca estive tão cansada na minha vida”.

Se tem algo que sinto saudades de quando não tinha filho era dormir uma noite inteira.

Hoje não sei mais o que é isso, mas sei que consigo sobreviver a um dia inteiro com uma noite mal dormida. É difícil no começo, mas fazer o que não é?!

8. Aprendi que mesmo que a gente organize tudo, nem tudo sai perfeito.

Eu não sou uma pessoa que possa ser chamada de mulher organizada. Com filho, trabalho, blog, casa, marido, ufa… É muito complicado.

Então gatz, não fica desesperada quando alguma coisa sair errado. É assim mesmo. Não se cobre demais.

9. Aprendi que mesmo que você tenha muita ajuda, a maioria das coisas para seu filho é só com você. Apenas.

Já ouvi de muitas mulheres as seguintes frases: “Meu marido me ajuda muito. Ele vai ser um ótimo pai!” ou então “Minha mãe mora perto, ela vai me ajudar quando eu precisar!” . Só para deixar claro, seu marido não vai te ajudar, é OBRIGAÇÃO dele dividir com você as tarefas domésticas e com o bebê. Afinal, ele é o pai.

Depois entramos no ponto de ter ajuda de outros. Isso é sempre bom quando somos mães pela primeira vez. Mas lembre-se: na maioria das vezes você pode ter um esquadrão do seu lado, mas seu filho vai querer você e mais ninguém.

10. (Re) Aprendi a ser mais saudável na alimentação.

Isso é muito importante não apenas por causa da amamentação, mas também porque a mãe é o pai são os exemplos diários do seu filho. Então, a partir do momento que você come bem, seu filho com certeza comerá bem também.

11. Aprendi a ser mais corajosa.

Nem preciso falar muita coisa, não é. Afinal, trouxe um filho ao mundo, algo que eu achava que não iria conseguir fazer.

12. Aprendi a falar mais… Principalmente para aquelas pessoas que adoram dar “sugestões” sobre o que você tem de fazer com seu filho.

O que mais acontece nesse mundo materno é que tudo de ruim é culpa da mãe. E outra é que mesmo que você faça tudo de maravilhoso para seu filho, sempre tem alguém que quer dar pitaco no modo que você cria seu filho. É muito chato e parece que a gente sempre está fazendo tudo errado.

13. Aprendi que não há nada que uma mãe não tenha força de enfrentar.

Lembra quando eu disse de era corajosa? Isso é só o início. Se prepare quando seu filho ficar doente pela primeira vez. Vai ser difícil, mas você enfrentará lindamente.

14. Aprendi que mesmo que seu dia tenha sido horrível, um sorriso banguela muda tudo.

Há alguns dias eu fiquei desempregada. O dia foi muito ruim, mas a família é tudo.

Pela madrugada, Heitor acordou e quis mamar. Peguei ele e comecei a pensar em como o dia foi péssimo, aí como numa resposta ao meus pensamentos ele apenas sorriu como se dissesse: “Tudo bem mamãe, vai dar tudo certo!” E vai sim!

15. Aprendi o quanto é maravilhoso dormir 8 horas seguidas e como é bom tomar um banho demorado.

Banho e sono são duas coisas que mudam na vida de uma mãe.

Se você tem a sorte de ter uma babá, aproveite. Se não, como eu e muitas mamães desse Brasil, se vira nos 30 e nos Discovery Kiss da vida, babe.

15. Aprendi a dar mais valor a minha mãe.

Eu sempre dei valor a minha mãe. Só que quando nos tornamos mães, a coisa muda. A cada choro, cada dor, cada desafio com seu filho que é só eu sozinha que tinha de resolver, sempre lembrava dela e quanto deveria ser difícil para ela também.

Te amo mãe e desculpas pelo trabalho.

16. (Re) Aprendi a brincar.

Eu nunca fui a criança que gostava de brincar. Meus brinquedos preferidos eram os livros e minhas canetas.

Mesmo tendo brinquedos em casa, nunca fui muito fã de brincar de boneca, quer dizer, odiava bonecas.

Então, com o Heitor tive de reaprender a brincar e estou amando isso. Não mudaria nada, é muito mais legal brincar com ele.

17. Aprendi (e aprendo todos os dias) o que é o amor incondicional.

Durante a vida sentimos tantos tipos de amor. Um amor de um pet, amor dos nossos pais, aquele amor de infância ou da adolescência, o amor que faz ter vontade de ficar junto, mas o amor de um filho é incomparável.

Sabe aquele amor sem medida, aquele amor que é tão grande que chega dói? É esse. É o melhor amor e mais puro que se pode sentir.

É falar e ouvir EU TE AMO todos os dias só com uma troca de olhares.

Então, se seu filho é seu amor incondicional, sabia que você é o amor de alguém também? Se você ainda tem sua mãe, fale “Eu te amo” para ela. Esse é o melhor presente que você pode dar. Espero que vocês tenham gostado e me contem aqui, o que vocês têm aprendido com a experiência de ser mãe.

 

More about Jessica

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *